Vinhos Verdes

Entre os rios Minho e Douro, os vinhedos dos Vinhos Verdes (DOC) extendem-se por 34.000 ha, na Região noroeste de Portugal (o Minho). Na sua forma tradicional, muitas vinhas apoiam-se nas árvores, como os carvalhos e plátanos, entre outras. Durante décadas, o vinho verde foi o vinho mais representativo de todos os vinhos de Portugal.

Guia Vinhos de Portugal

Vinhos Verdes © Images of Portugal


Vinhos Verdes do Minho

O grande diferencial do vinho verde é, principalmente, a "forte personalidade das castas locais e as formas de cultivo das vinhas" [1]. Nesta região, tradicionalmente, muitas videiras crescem trepadas nas árvores, nas bordas dos campos. Estes vinhos têm baixa coloração - amarelo citrino claro, palha esverdeado - e teor alcólico médio.

Alvarinho e outras castas

Com a exceção de um par de castas (Arinto e Avinhão), as castas utilizadas para a produção de vinho verde são oriundas da região: Alvarinho e Avesso (brancos) e Espadeiro, Borraçal e Amaral (tintos).

Vinhos Verdes Jovens

Em geral, os Vinhos Verdes são consumidos jovens, até o segundo após a produção. Um diferencial destes vinhos é o frescor, o que faz deles serem muito apreciados durante a época do verão.

Guia Vinhos de Portugal
Vinhos Verdes © Ari Oliveira


Vinho Verde de Monção

Dentre um dos mais famosos Vinhos Verdes, destaca-se o Vinho Verde Alvarinho, produzido em Monção, tradicional e com teor alcólico um pouco mais elevado (13%), além de poder ser consumido um pouco mais velho, chegando a 3 anos ou mais.