Vinhos

Vinhos de Trás-os-Montes

DOC Douro - Parte do seu terroir vitivinícola faz parte do Alto Douro Vinhateiro, região demarcada classificada Paisagem Cultural do Patrimônio Mundial pela Unesco (vinhedos milenares).

DOC Trás-os-Montes - A nordeste, as vinhas recebem a denominação de origem controlada Trás-os-Montes e IG Transmontano. Estas terras com características distintas formam 3 sub-regiões: Chaves, Valpaços e o Planalto Mirandês.

Guia de Trás-os-Montes
Vinhas na freguesia de Possacos, município de Valpaços, distrito de Vila Real (Alto Trás-os-Montes), Norte de Portugal © GEP


O Terroir

Esta bela e extensa região montanhosa do nordeste de Portugal tem características próprias. Mas, de um lugar a outro, "o cenário muda rapidamente, entre exuberantes vales verdejantes, ou colinas antigas cobertas por uma colcha de retalhos de bosques, ou olivais verde-cinza, extensas vinhas verdes brilhantes, ou amendoeiras floridas e outras árvores de fruto" [2].

Cima Corgo e DOC Douro

A DOC Douro, na sub-região Cima Corgo, compreende parte dos distritos de Vila Real e Bragança. O distrito de Vila Real produziu 841.816 de hectolitros [IVV, dados referentes a 2016].

DO Trás-os-Montes e IG Transmontano

Na região das denominações (DO) "Trás-os-Montes" e da indicação geográfica (IG) Transmontano o distrito de Bragança produziu 187.720 hl [IVV, dados referentes a 2016].

Guia de Trás-os-Montes
Vinhas na freguesia de Possacos, município de Valpaços, distrito de Vila Real (Alto Trás-os-Montes), Norte de Portugal © GEP


Microclimas de Trás-os-Montes

Apesar da aparente unidade regional, em Trás-os-Montes "verifica-se a existência de vários microclimas, que aliados às diferenças existentes na constituição dos solos, bem como à maior adaptabilidade de determinadas castas, permitem obter vinhos muito diferenciados. Tais diferenças permitiram definir três sub-regiões para a produção de vinhos de qualidade com direito a DO (Denominação de Origem) Trás-os-Montes, os critérios tidos em conta foram essencialmente as altitudes, exposição solar, clima e a constituição dos solos" [2].
Quanto aos vinhos com IG (Identificação Geográfica) Transmontano, estes podem ser produzidos em toda a região de Trás-os-Montes.

São as seguintes as 3 sub-regiões vitivinícolas em Trás os Montes:

Chaves

O concelho de Chaves está localizado na fronteira com Espanha, ao Norte; é famoso por suas águas termais e sua gastronomia (presunto de Chaves). As vinhas situam-se nas encostas de pequenos vales, correndo em direção ao vale do Rio Tâmega.

Valpaços

Região tradicional quanto à produção de vinhos que remontam a tempos romanos; tal presença "está intrinsecamente marcada nas rochas graníticas desta sub-região" [2], sobretudo nas margens do rio Rabaçal.

Planalto Mirandês

No Planalto Mirandês, o Rio Douro influencia o cultivo da vinha nos solos essencialmente xistosos, cuja altitude vai de 350 a 600 m, com ocorrência de grandes amplitudes térmicas, muito baixos teores de humidade relativa a incidência de ventos.

Bragança capital mais ao norte de Portugal, é sede do distrito e do município (concelho) de Bragança.

Patrimônio da Humanidade

A Região do Douro Vinhático (ou Vinhateiro) é classificada pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. No mapa abaixo delimitamos os confins da região com as principais cidades. Vila Real é a cidade mais importante deste vasto espaço vitivinícola.

• Ver também: Vinhos de Portugal.