Vinhos do Alentejo

Os Vinhos do Alentejo, cujos vinhedos extendem-se por uma área de 20.800 ha, numa vasta planície da maior Região de Portugal, abrangem os distritos de Beja, Évora e Portalegre. Considerado o celeiro do país, o Alentejo vem progressivamente aumentando seus vinhedos em detrimento da outrora onipresente cultura de cereais.

Guia Vinhos de Portugal

Vinhedo em Borba, Alentejo © GEP


Estes vinhos, de "forte exuberância aromática, vinhos redondos e suaves" [1], conquistam os paladares de gastrônomos dos mais diversos recantos.

Variedade de castas

Para a produção do Vinho do Alentejo são utilizadas várias castas nacionais, além de castas provenientes de outros países (Cabernet Sauvignon, por exemplo).

Vinho Alentejano e Alentejo DOC

Além do conhecido Vinho do Alentejo DOC, a IGP (Indicação Geográfica Protegida) Vinho Alentejano tem ganhado muito espaço tanto em termos de produção quanto de consumo, sendo atualmente um dos vinhos engarrafados mais consumidos do país.

Guia Vinhos de Portugal
Vinhos do Alentejo © Ari Oliveira


Sub-Regiões dos Vinhos do Alentejo

Os Vinhos do Alentejo são provenientes de oito sub-regiões vitivinícolas, a saber:

Borba

Segunda maior sub-região do Alentejo. As terras de Borba, no distrito de Évora, no Alentejo Central, vão de Estremoz a Terrugem, alargando-se a Orada, Vila Viçosa, Rio de Moinhos e Alandroal. São 2.862,08 ha de vinhas plantadas para os vinhos tintos (819,91 ha para os brancos). O clima especial desta sub-região (mais úmido e menos quente) permite a elaboração de vinhos frescos e elegantes. Destacamos os vinhos produzidos pela Adega de Borba, em particular o tinto Adega de Borba.
Além de bons vinhos, outro destaque nestas terras é a produção de azeites de qualidade.

Évora

A capital do Alentejo (e da sub-região Alentejo Central) possui 1205,67 ha plantados de vinhas (dos quais 1000,78 ha para os vinhos tintos). Esta sub-região sempre produziu vinhos de grande prestígio e qualidade. Dentre estes, citamos os famosos vinhos EA e Pêra-Manca, da Adega Cartuxa (Fundação Eugênio Almeida), a qual, além de excelentes vinhos também produz azeite de primeira qualidade.

Granja/Amareleja

Segundo menor terroir do Alentejo (com 410,21 ha, dos quais 374,90 ha para vinhos tintos), as terras da sub-região Amareleja / Granja - consideradas as mais áridas e inclementes de Portugal - estão repartidas entre os concelhos de Moura e Mourão. A nordeste de Beja, no Baixo Alentejo, o Rio Guadiana é a fronteira natural leste com a Espanha. Os vinhos da Adega Cooperativa Granja / Amareleja são reconhecidos a nível internacional e levam a DOP Alentejo. Estas boas terras vinícolas também são cobertas de olivais e produzem um azeite natural de excelente qualidade comercializado sob a etiqueta Granja / Amareleja.

Moura

Terra de olivais e de vinhas, além de azeitonas e bom azeite, em Moura, concelho (município) do distrito de Beja, no Baixo Alentejo, são produzidos bons vinhos naquele que é o menor terroir do Alentejo (337,52 ha, dos quais 285,85 ha para vinhos tintos). Mesmo assim, são 28 adegas espalhadas pelo município; dentre os vinhos da região, citamos o conhecido Convento da Tomina DOC Alentejo.

Redondo

Outra visita aconselhada para enólogos e amantes de bons vinhos. As visitas imperdíveis são a Enoteca e o Museu do Vinho. Em Redondo, distrito de Évora, no Alentejo Central, os vinhedos são protegidos pela Serra da Ossa e a área plantada de vinhas para os tintos é de 1563,33 ha (para os brancos, são 411,95 ha).

Portalegre

As vinhas de Portalegre no Alto Alentejo, espalham-se pela franjas da Serra de São Mamede e, em alguns lugares, atingem os mil metros de altitude, com um clima mais úmido e fresco comparando-se às outras sub-regiões. Esta situação geográfica bastante diferente das outras sub-regiões produz vinhos bastante originais, leves e frescos.

Reguengos

Reguengos de Monsaraz, município (concelho) de Évora, é a mais recente história de sucesso dos vinhos portugueses. Em 2015, foi eleita cidade Cidade Europeia do Vinho. Com a maior área de vinhas para a produção de vinhos tintos (3.165,88 ha) da região, quase um terço da área total (28,52%), Reguengos de Monsaraz nos reserva agradáveis surpresas.

Vidigueira

Com a maior área de todo o Alentejo de vinhas plantadas para vinhos brancos (967,78 ha) e 1344,59 ha para a produção de vinhos tintos, as terras da Vidigueira, no distrito de Beja, Baixo Alentejo, se encontram mais ao sul do Alentejo. Razão pela qual Vidigueira sempre foi associada aos vinhos brancos. Apesar disso, gozam do clima mais ameno da região. Em Vidigueira, o País das Uvas, os vinhedos se espalham ainda por Cuba e Alvito. Dentre os vinhos produzidos pela Adega Cooperativa da Vidigueira, destacamos o Vidigueira Antão Vaz e o Vidigueira DOC Tinto.