Ave

Ave é uma sub-região e uma CIM - Comunidade Intermunicipal - do distrito de Braga (Baixo Minho). Desde a Serra da Cabreira, em Vieira do Minho até sua foz no Oceano Atlântico, em Vila do Conde, este rio atravessa os concelhos de Póvoa de Lanhoso, Guimarães, Vila Nova de Famalicão, Santo Tirso, Trofa e, finalmente, Vila do Conde.


Guia do Minha

Moimenta, Cabeceiras de Basto (Minho) © Portoenorte


O Vale do Ave

O Rio Ave, com 85 km de curso, tem nascente na serra da Cabreira, no concelho de Vieira do Minho, a cerca de 1200 metros de altitude, no Pau da Bela. Até sua foz no Oceano Atlântico, em Vila do Conde, atravessa Vieira do Minho, Póvoa de Lanhoso, Guimarães e Vila Nova de Famalicão, na CIM do Ave. Também passa pelos concelhos de Santo Tirso e Trofa.

Por encontrar-se numa zona industrial que aproveitou seu potencial hidráulico, a indústria têxtil que utilizava o linho - e depois, o algodão - o Rio Ave foi poluído. As fábricas de Guimarães e de Vizela são exemplos: a "Fábrica de Fiação do Rio Vizela, em 1845, em Negrelos, Santo Tirso" e a "Fábrica do Castanheiro, criada em Guimarães, em 1885", e se "dedicaria tanto ao linho como ao algodão" [1].

Em resumo, "a dimensão das potencialidades industriais do rio Ave, praticamente colonizado pela indústria algodoeira, que, com o correr do tempo, se acopla quase da nascente à foz deste rio" [1].

Concelhos de Ave

Cabeceiras de Basto

Fafe

Guimarães

A Cidade Berço de Portugal, o Centro Histórico de Guimarães é classificado Patrimônio Mundial pela Unesco.

Mondim de Basto

Póvoa de Lanhoso

Vieira do Minho

Vila Nova de Famalicão

Vizela



Aldeias pacatas e tradicionais

Ao viajar por estas terras, o viajante depara-se com pequenas aldeias que parecem ter parado no tempo, com suas casas de pedra, com flores às janelas e um ou outro habitante ocupado em suas tarefas de gente simples do campo. Estas aldeias são verdadeiros museus ao ar livre de uma arte de viver que cada dia se torna mais rara em Portugal.